Em meio ao coronavírus, como a área de RH tem criado alternativas para dar continuidade aos processos de recrutamento e seleção?

5 0

Em épocas ‘normais’ o mercado de trabalho já tem se virado nos 30 para atender as demandas de contratações das empresas. Iniciamos o ano com a taxa de desemprego atingindo 11,6 milhões de pessoas, de acordo com o IBGE. E ainda assim, foram anunciados as profissões com maior possibilidade de demandas de contratações no Brasil nas áreas de TI, Finanças e Vendas.

Mesmo com a taxa de desemprego alta, a área de RH já vinha passando por inúmeras inovações em seus processos seletivos, justamente para otimizar as demandas de crescimento do mercado. Tais processos iam desde entrevistas sendo feitas com o uso da tecnologia, SkypeWhatsApp, o diálogo inicial pelo telefone, gravações de vídeos currículos, dinâmicas em grupo online.

Mas e agora, com a pandemia do Coronavírus? Como dar continuidade aos processos de recrutamento e seleção? 

Desde que medidas preventivas foram recentemente anunciadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), seguimos em alerta para conter a propagação desse vírus, com o  distanciamento social. Ou seja, as empresas que atenderam a esse pedido e mantiveram suas vagas abertas, adotaram o sistema de trabalho home office, para que não haja aglomeração de pessoas. Essa mudança em suas rotinas, permitiu a continuidade dos processos utilizando as tecnologias disponíveis, como conferências e ligações por vídeos. 

O que se espera, ainda mais no momento atual, é que a área de Recursos Humanos continue adaptando os processos de Recrutamento e Seleção ao novo cenário de trabalho remoto. Segundo Raphael, Consultor de Recursos Humanos Jr da Adecco – Consultoria em Recursos Humanos: “a empresa sempre dá preferência ao processo presencial, desde que começou a pandemia, já se falava em home office, porém, foi determinado pelo CEO Global, que os colaboradores estariam 100% home office, fazendo o trabalho de recrutamento e seleção, para aqueles cliente que quisessem, e somente um cliente solicitou a entrevista presencial, mesmo sendo alertando sobre os riscos. As vagas continuam sendo anunciadas pela internet, com pré-prova, selecionando os validados, depois de validado, entramos em contato, fazendo a entrevista por Skype ou vídeo no WhatsApp”. Como exemplo, ele citou um vaga de Analista de RH, que passou por esse processo, onde o candidato foi encaminhado para a supervisora, uma cliente que está em Minas, trabalhando também em home office, que dará continuidade no processo, fazendo contato por telefone e posteriormente a entrevista por vídeo. 

Mesmo com o atual cenário, aspectos importantes devem ser levados em consideração, pelas empresas e profissionais de RH: antes de convocar os candidatos, verifique se possuem acesso a uma boa conexão com a internet, como professora universitária, ouvi relatos de alunos que utilizam a estrutura da faculdade, para participarem de entrevistas. Fazer um check-list com os candidatos, alertando-os de possíveis detalhes, como vestimenta, checagem de microfone e câmera, o ambiente. 

Antes do Coronavírus, algumas empresas já adotavam este tipo de processo, contudo, nem todos os candidatos estavam familiarizados. Este será um grande desafio para as empresas daqui pra frente, não só pelo COVID-19. Esse modelo servirá como auxílio, tornando os processos seletivos mais eficientes e favorecendo a participação de um volume maior de candidatos ao emprego, consequentemente fazendo-os se preparar ainda mais, para a tão sonhada vaga. 

Edyane Maria de Souza Gonçalves

Profissional de RH, Profª Universitária e Mestre em Desenvolvimento Humano

Happy
Happy
100 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
0Shares

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close